Pesquisar este blog

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Reações Estúpidas do Ser Humano



 Por que quando chove e estamos sem um guarda-chuva abaixamos a cabeça? Talvez caminhando assim não fiquemos molhados? 

Por que a mania de abrir a geladeira a cada quarto de hora se sempre sabemos o que há lá dentro?
Por que abrimos a boca a cada vez que olhamos para o teto? Para caçar moscas?

 Por que arregalamos os olhos quando estamos na escuridão? No que pensamos? Que temos superpoderes?
Por que é tão surpreendente que a areia da praia queime com o sol a pino, quando nos pomos a correr como loucos gritando: "Ui.. tá queimando, tá queimando"? Claro que queima, que esperava?
Por que gostamos tanto de fazer "caras e bocas" no espelho do elevador?

 Por que há tanta gente que quando o sorvete está na metade morde a parte de baixo da casquinha? Se sabe que por ali é que ele vai escorrer.

 Por que quando alguém vai pôr gotas nos olhos abre a boca daquela maneira tão estranha? É colírio, não cachaça!
Por que quando assoamos o nariz abrimos o lenço e olhamos? Que esperamos encontrar? Berbigões?
 Por que quando colocamos uma carta na caixa de correio não podemos evitar olhar pela ranhura e ver o que há lá dentro? Que esperamos encontrar? Um carteiro anão?

 Por que quando dobramos uma esquina e topamos com alguém, ele sempre tem uma cara de imbecil?
Por que quando estamos num lugar alto temos a obsessão de ver nossa casa? - "Olha, olha ali, ao lado do edifício vermelho... "

 Por que quando ficamos chateados, cruzamos os braços? Que ganhamos com isso?
Por que quando nos deixam pendurados no telefone ficamos olhando como se o aparelho tivesse a culpa?

 Por que quando o celular toca sentimos a necessidade irreprimível de começar a andar de um lado para o outro?

 Por que quando um aparelho elétrico não funciona não ocorre outra coisa que apertar com mais força o botão de liga/desliga?
Por que seguimos tentando tirar as cartas pelo buraco da caixa de correio se sabemos que a única coisa que conseguimos é arranhar os dedos?
Por que todo fumante alguma vez se equivocou e acendeu um cigarro ao contrário? É um castigo pelo qual todos têm que passar?

 Por que todo mundo, em algum momento de sua vida, foi olhar uma vitrine, calculou mal a distância e meteu o "narigão" no vidro?                     
                                        


 Por que todos tentamos pelo menos alguma vez tocar o nariz com a língua e nos dá raiva se não conseguimos?

Medo
Exemplo 1:
Você está deitado, a noite, na cama e ouve um ruído estranho, e daí, o que faz? Cobrir-se com o lençol! Muito bem! Que pensa, que o lençol é a prova de balas? Que se for um homem mau com uma faca não conseguirá atravessar o poderoso tecido, vai dobrar a ponta do metal? Faça me o favor né!!!
E ainda tem aqueles que, desconfiados, olham debaixo da cama? Ademais, supondo que tenha um assassino ali embaixo o que adiantará olhar? Que ele te mate antes! Muito bem, fantástico. Imagine então que num dia você encontrasse alguém embaixo da cama? O que lhe diria?:
- "Boa noite senhor... O que está fazendo ai embaixo?"
- "Estava esperando alguém para matar né? Alguém, tem que fazer alguma coisa nesta casa".
- "Mas homem de Deus! Saia daí que tá fazendo um frio danado. Ande, suba, que vai pegar uma gripe ai neste piso úmido. Mate-me aqui na cama, que está mais quentinho".
Outra reação estúpida ante o medo é olhar dentro do guarda-roupa, que já é o cúmulo. Porque, vamos ver se tem alguém dentro do guarda-roupa? Você não tem nem mais aonde guardar a sua roupa e vai procurar alguém ali dentro!!
Exemplo 2:
Você ouve um ruído estranho na casa e levanta só de cuequinha/calcinha ou sem eles, e pergunta: - Tem alguém aí? Você realmente crê que se tiver alguém ele vai responder? O pior é quando chega à conclusão de que se há alguém só pode estar atrás da porta do banheiro, o que você faz? Petrificado de medo entra passo a passo no banheiro para verificar e esquece-se que se tivesse alguém alí levaria uma grande bordoada somente ao tentar colocar o cabeção para dentro da porta.
Exemplo 3:
Você está no banco do passageiro de um carro e, de repente, o motorista começa a correr como se fosse o Nigel Mansell, mas sem o Nigel e nem o Mansell, e você ali apavorado. O que faz? O normal, proteger-se: agarrando ao PQP em cima da porta e olhando com o rabo dos olhos para o louco que guia ali do lado. Você é capaz de atravessar o piso com suas freadas no freio imaginário. Nesta mesma situação o que fazem as mães é se agarrar à bolsa no colo, como se fosse um airbag.
Exemplo 4:
E quando está andando de bicicleta sem freio e de repente ela embala em uma "pirambeira"? O que te ocorre? Tirar os pés dos pedais é lógico. Show, muito bem, muito inteligente! Quando você perder o total controle, solte também as mãos do guidão. O que acha que vai acontecer? Que vai sair voando como o E.T.?
Exemplo 5:
Quando você vai tomar uma injeção, o que faz? Deixa a bunda tão dura que a agulha bate e volta. Sabemos que dói mais, mas não conseguimos evitar. O medo nos incita a fazer uma idiotice atrás da outra.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário